O Hospital Mãe de Deus acredita que o envolvimento e a proximidade dos familiares são fundamentais para a recuperação, por isso, diariamente, a equipe busca prestar serviços que atendam não apenas o paciente, mas também as pessoas próximas a ele. O cuidado e o respeito com todos e que transitam no ambiente hospitalar, e com as mais diferentes crenças, faz parte da essência da instituição.

Orientações sobre internação

Para realizar a internação o paciente deve ter em mãos os seguintes documentos:

  • CPF e RG, ou carteira de habilitação em que constem esses dados
  • Certidão de Nascimento dos menores de idade que não possuam RG
  • Solicitação de internação fornecida pelo médico, com data, carimbo e assinatura
  • CPF e RG do responsável pelo paciente

O paciente que efetivar a sua internação através de plano de saúde deve apresentar além dos documentos citados, os seguintes:

  • Cartão do convênio
  • Guia de solicitação de internação com diagnóstico, número do CID (Código Internacional de Doenças), Código AMB (referente ao procedimento a ser realizado) e nome do procedimento, carimbo e assinatura do médico
  • Autorização do plano de saúde para a internação e para materiais e medicamentos especiais, se for o caso
  • Recomendamos a todos os pacientes que se internam no Hospital Mãe de Deus algumas orientações para facilitar a estadia no Hospital e evitar transtornos, como:
    • Consultar previamente o seu plano de saúde sobre coberturas e carência
    • Trazer roupas confortáveis e fáceis de vestir
    • Não trazer objetos de valor, como joias, cartões de crédito e alto valor em espécie, pelos quais o Hospital Mãe de Deus não se responsabiliza
    • CPF e RG do responsável pelo paciente

Manual do Paciente

Informações importantes para você e seus familiares durante sua estadia no Hospital Mãe de Deus.

Baixar

Direitos do Paciente

  • Ter seus valores pessoais respeitados por todos os profissionais do Hospital, através de profunda dedicação aos aspectos de sua individualidade;
  • Ser identificado e tratado exclusivamente por seu nome, por respeito a sua dignidade e segurança no tratamento;
  • Ter acesso à identificação do Médico Assistente e de todos os profissionais envolvidos em seu tratamento, através de apresentação e da utilização de crachás legíveis e oficiais;
  • Ter respeitada a sua privacidade, individualidade e integridade física, em todas as etapas de seu tratamento;
  • Ter o direito à confidencialidade de suas informações clínicas, com garantia do sigilo ético de todos os profissionais do Hospital, segundo a legislação vigente, ressalvadas as situações que acarretem riscos para o próprio paciente, terceiros e comunidade geral;
  • Ter respeitado o seu direito de decidir sobre acompanhamento de pessoa indicada nos processos de consultas e internações, sem prejuízo dos aspectos técnicos do atendimento;
  • Indicar familiar ou acompanhante para decidir em seu nome, caso necessite em função de impedimento;  
  • Receber informações de forma clara, objetiva, e compreensíveis, sobre sua doença ou hipótese diagnóstica, sobre a proposta terapêutica ou dimensionamento de tempo do tratamento proposto;
  • Receber informações objetivas sobre os riscos de não realizar o tratamento, os riscos envolvidos e os efeitos inconvenientes do tratamento, sobre os benefícios previstos e, finalmente, sobre as alternativas existentes no Hospital em termos diagnósticos e terapêuticos;
  • O paciente tem o direito de consentir ou recusar os processos investigativos e diagnósticos ou o tratamento em forma de procedimentos invasivos ou terapêuticos de forma livre, voluntária e esclarecida de todos ou de qualquer um dos tratamentos propostos;
  • Ter respeitada a sua vontade de buscar uma segunda opinião sobre o diagnóstico e a proposta de tratamento, além de ter o direito, a qualquer tempo, de substituir o médico ou a equipe médica responsável pelo seu tratamento;
  • Ter suas necessidades de dores físicas atendidas imediatamente, através de avaliações, orientações e tratamentos, conforme as rotinas e protocolos Médico-Assistenciais pertinentes e indicados clinicamente e de acordo com os recursos terapêuticos disponíveis;
  • Ter o seu prontuário elaborado de forma legível, sigilosa e organizada, conforme a legislação vigente, quanto à composição dos documentos, registros e conteúdo das informações no que se refere à evolução da doença, aos resultados dos exames e às condutas terapêuticas realizadas;
  • Ter acesso à cópia do prontuário, quando solicitado pelo próprio ou pelo seu representante legal, conforme legislação vigente;
  • Ter cuidados especiais quando apresentar risco para si próprio ou terceiros, conforme mecanismos de proteção e segurança disponíveis na estrutura hospitalar;
  • Ser atendido em conformidade com os direitos previstos no Estatuto do Idoso, em casos configurados (Lei n°10.741 de 01/01/2003);
  • O paciente tem direito de receber apoio moral, psicológico e religioso, sem interferência nos processos do tratamento proposto.

Deveres do Paciente

  • São deveres do paciente do Hospital Mãe de Deus:
  • Prestar informações de forma precisa e completa como elemento de auxílio no tratamento de sua enfermidade;
  • Informar sobre doenças anteriores, hospitalizações e tratamentos, além de outros assuntos relacionados à sua vida, para que a equipe médica e os demais profissionais possam desenvolver a adequada proposta terapêutica;
  • Cumprir as instruções do médico e da equipe assistencial responsável pelo seu tratamento;
  • Quando o paciente se sentir impossibilitado de cumprir o tratamento, deve comunicar imediatamente ao Médico Assistente;
  • O paciente e seus familiares ou responsáveis devem respeitar o direito dos demais pacientes e dos funcionários do Hospital, seguindo um relacionamento pautado pela cortesia e dignidade humana;
  • Importante seguir todas as orientações repassadas e em caso de dúvidas ou impossibilidade, contatar a equipe assistencial;
  • Cumprir e honrar o seu compromisso financeiro com o Hospital e os Médicos Assistentes escolhidos;
  • Providenciar toda a documentação solicitada pelo Hospital e seu convênio nos processos de autorização de tratamento;
  • Conhecer o Manual do Paciente.

 

Os direitos e deveres do paciente estão descritos no Manual do Paciente, entregue ao paciente ou seus familiares no momento da internação no Hospital Mãe de Deus;

A legislação pertinente a estes direitos está disponível para consulta no Núcleo de Relacionamento ao Cliente.

Hotelaria e Hospitalidade

Conforto e carinho dispensados em todo atendimento.

O Hospital Mãe de Deus é lembrado por seus pacientes pelo conforto e carinho presente em todo atendimento.

Oferece o Serviço de Hospitalidade para seus pacientes e acompanhantes. Esse atendimento personalizado pode ser solicitado de segunda à sexta-feira, das 8h às 18h através do telefone (51) 3230.2364. Para informações aos finais de semana, favor entrar em contato pelo telefone (51) 3230.2107.

A equipe de Concierges está à disposição para auxiliar com os seguintes serviços:

  • Cópias e impressões (máximo 10 unidades por cliente)
  • Chaveiro
  • Motoboy
  • Cabeleireiro, pedicure, manicure e maquiador
  • Floricultura
  • Lavanderia
  • Informações – hotéis, cartório e correios
  • Locação de veículos e serviço de táxi
  • Informações turísticas para acompanhantes
  • Aluguel de equipamentos – cadeira de rodas

*Todos os serviços são cobrados à parte e pagos diretamente ao prestador

Rotina

Confira algumas informações sobre a rotina da Hotelaria e Hospitalidade que irão facilitar a estadia no Hospital:

  • Caso autorize o pernoite do acompanhante, a governança passa nos quartos para entregar o kit de roupas de cama e banho
  • Caso a acomodação do paciente no apartamento aconteça após as 21h, o serviço deverá ser solicitado ao posto de enfermagem
  • O buffet de café da manhã é servido na Cafeteria, no Piso Térreo, acesso 1, das 6h30 às 9h30

As refeições dos pacientes são elaboradas de acordo com as prescrições médicas e orientações do nutricionista. Elas estão incluídas no valor da diária hospitalar e são servidas nos seguintes horários:

  • Desjejum:  7h30 às 9h
  • Almoço:  11h30 às 13h
  • Lanche:  15h30 às 16h30
  • Jantar:  18h30 às 20h
  • Ceia:  20h às 22h

Caso haja necessidade de consumo de algum alimento de origem externa, o serviço de nutrição verificará se ele se enquadra na dieta prescrita e orientará sobre cuidados importantes para a segurança alimentar e a melhor forma de evitar a contaminação no transporte.

Copas nas Unidades de Internação

O Hospital Mãe de Deus disponibiliza atendimento direto na unidade nos horários:

  • Manhã: das 7h30 às 10h15 e das 10h30 às 13h30
  • Tarde: das 14h30 às 17h15 e das 17h30 às 20h40

As copas são equipadas com fornos de micro-ondas para aquecimento das refeições, sempre que necessário. Se houver necessidade de atendimento fora desses horários, a Copa Central está disponível 24 horas por dia, pelo telefone (51) 3230.3021.

Telefones

Chamadas externas: (51) 3230.6260

Geral: (51) 3230.2107

Cafeteria: (51) 3230.3036

Internação: (51) 3230.2365

PLANEJAMENTO DO TRATAMENTO

No Hospital Mãe de Deus incentivamos que o paciente participe do planejamento do seu tratamento e por isso, disponibilizamos nos quartos um quadro com o Plano Assistencial, com o planejamento de como será o dia do paciente, como exemplo exames que serão realizados e principais orientações.

PRONTUÁRIO À DISPOSIÇÃO

No Hospital Mãe de Deus incentivamos que o paciente internado consulte o seu prontuário e tire possíveis dúvidas. Para isso, é necessário solicitar e combinar um horário com a equipe assistencial.

É importante salientar que o prontuário pertence ao paciente e que, por delegação deste, só poderá ter acesso ao prontuário o médico e o paciente.

Atenção: Para ingresso no Hospital é obrigatória a apresentação de documento de identificação.

Mãe de Deus

DEMAIS UNIDADES DE SAÚDE AESC