Perda de memória pós-covid? Veja o que se sabe sobre o assunto

Para muitos pacientes, a doença causada pelo novo coronavírus é desgastante e perigosa. Mas você sabia que, mesmo depois de curada a infecção, podem surgir ou persistir sintomas como lapsos na memória?

A ciência ainda não sabe muito sobre os mecanismos que levam às sequelas pós-covid. Porém, com tanta gente que passou pela doença no mundo, é possível ter uma boa ideia sobre quais os principais problemas que podem ocorrer.

Para falar sobre os sintomas cognitivos da pós-covid, conversamos com o neurologista do Hospital Mãe de Deus, Dr. Henrique Mohr.

A seguir, ele nos ajuda a esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto. Boa leitura!

A covid-19 pode causar sequelas na memória?

Sim. De acordo com o Dr. Henrique Mohr, as queixas cognitivas — como desatenção e prejuízo na memória recente — são comuns no pós-covid.

“O número conhecido é que mais ou menos um quarto dos pacientes tem algum sintoma neuropsiquiátrico”, comenta o neurologista. “E esses sintomas podem vir da covid leve ou da grave.”

Muitos desses sintomas, segundo o médico, são transitórios, durando algumas semanas no pós-covid, mas também há casos de pacientes que persistem com algum sintoma cognitivo por um período mais prolongado, além de um ano após a infecção.

“A gente não sabe qual vai ser o futuro disso, se tende a melhorar, ficar estável ou eventualmente até se agravar. É incerta a evolução dessa queixa”, declara o Dr. Mohr.

Que tipo de prejuízos na memória os pacientes podem desenvolver pós-covid?

Na experiência do neurologista do Mãe de Deus, em geral os pacientes se queixam de lapsos, pequenas desatenções do dia a dia, como não conseguir reter uma informação, não lembrar onde deixou algum objeto ou o que acabou de falar.

“Na extrema maioria dos pacientes são queixas leves, perceptíveis, mas sem maior impacto nas atividades do dia a dia. Porém, existem casos mais graves, pacientes que têm o que se denominou brain fog, cuja tradução é uma neblina cerebral”, conta.

Nesses casos, os pacientes perdem a capacidade de realizar ações que faziam com naturalidade antes. “Por exemplo, um enfermeiro que teve um quadro de covid não soube mais manusear as medicações e realizar as atividades do dia a dia”, acrescenta.

Além do exemplo presenciado pelo Dr. Mohr, há relatos em revistas estrangeiras de pessoas que desaprenderam a fazer seu trabalho e ficaram com uma lacuna na memória em relação ao período pós-covid.

A parte mais grave — esse declínio cognitivo profundo com incapacidade para o trabalho —, no entanto, tende a ser transitória.

Que outras sequelas neurológicas podem surgir?

Além dos lapsos na memória e desatenção, a cefaleia (dor de cabeça) é uma queixa muito comum entre os pacientes pós-covid. Sem contar as alterações no olfato e paladar, que são frequentes e podem persistir depois de curada a infecção.

Segundo o Dr. Henrique Mohr, também pode haver complicações neurológicas graves no pós-covid, embora estas sejam menos comuns, como AVCs (tanto hemorrágicos quanto isquémicos), encefalite e mielite.

“São reações imunológicas que ocorrem com a presença do vírus no organismo. O corpo acaba gerando uma resposta inflamatória que ataca o próprio sistema nervoso da pessoa”, detalha o médico.

Ele ainda cita a possibilidade de ocorrerem distúrbios motores, como a mioclonia, caracterizada por abalos musculares involuntários.

Há tratamento para os sintomas pós-covid-19?

No caso dos pacientes com alguma queixa em relação à memória, é importante que eles passem por uma avaliação padrão de memória.

Isso permite a identificação precisa do sintoma e, a partir daí, podem ser feitos outros testes cognitivos e exames complementares, para que possa selar o diagnóstico de fato.

Tudo isso pode ser encaminhado a partir de uma consulta com um médico neurologista.

“Apesar da covid-19 ser sempre uma causa em potencial, existem várias outras doenças que resultam em sintomas cognitivos, muitas delas inclusive tratáveis”, pontua o Dr. Henrique Mohr.

O médico afirma que não há medicações que possam tratar o que foi ocasionado pela infecção. O tratamento da covid começa com a prevenção, com o uso correto de máscaras, distanciamento dentro do possível e vacinação.

Depois, com o tratamento das complicações, caso tenha havido descompensação ou internação hospitalar. “Mas ainda não temos nenhuma medicação que possa reverter os efeitos neurológicos”, diz o neurologista.

O tratamento pode envolver, caso seja necessário, práticas de reabilitação, com acompanhamento de neurologista, psiquiatra, terapia ocupacional e/ou atividades cognitivas.

Com tantos riscos e incertezas, portanto, o melhor que todos temos a fazer é continuar apostando forte na prevenção.

Fonte: Blog Bem Panvel

Emergência

24 HORAS

Tempo médio para atendimento
*Tempo para atendimento médico após abertura do boletim.
TRAUMATOLOGIA
Tempo médio para atendimento
*Tempo para atendimento médico após abertura do boletim.
*Unidade Av. José de Alencar, 286.

PARA VOCÊ

CENTRAL DE ATENDIMENTO

TELEMEDICINA, AGENDAMENTOS, CONSULTAS E EXAMES​

Sala de imprensa

Fabíola Bach – Assessoria de Imprensa
Celular: (51) 99952-1462
fabiolaback29@gmail.com

TODAS AS NOTÍCIAS:

Compartilhe:

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Mais notícias

Ciclone Extratropical: Área de acesso ao Espaço Azul é transferida

Com a aproximação do ciclone extratropical que está previsto para atingir o Rio Grande do Sul a partir de hoje (17/05), o Hospital Mãe de Deus está se preparando para o enfretamento dos possíveis impactos do evento.
Para isso, a entrada do Espaço Azul – área exclusiva para pacientes com sintomas gripais será transferida para o Acesso 2 do Hospital, junto à Emergência.

Alta prevalência e sintomas silenciosos são alertas para a hipertensão

Uma doença silenciosa, presente em 25% da população adulta,. Essa é a hipertensão. Por sua alta prevalência e possíveis consequências graves, o diagnóstico precoce, o tratamento adequado e a prevenção são essenciais. Para marcar o Dia Mundial da Hipertensão (17/05). preparamos uma material especial com as principais informações sobre esse tema. 

Conheça o papel do assistente social dentro de um hospital

Você sabe qual o papel do assistente social dentro de um hospital? Eles são responsáveis por buscar defender os direitos dos pacientes, através de um processo de acolhimento, escuta sensível, construção e fortalecimento de vínculos. Conheça mais sobre a atuação e importância deles dentro desses espaços.

HMD é pioneiro no uso de técnica para desobstrução de artérias com laser no Estado

A obstrução de artérias é um problema cada vez mais frequente entre a população, podendo trazer graves consequências, como o infarto e o acidente vascular cerebral. Para atender esses casos, o Hospital Mãe de Deus conta agora com uma nova tecnologia: o laser. O HMD é a primeira instituição do Rio Grande do Sul a utilizar essa técnica e o pioneiro no Brasil na realização do procedimento guiado via Tomografia de Coerência Ótica (OCT).