Doença de Parkinson: medicamentos e cirurgia ajudam a manter qualidade de vida

Doença atinge 1% da população acima dos 65 anos, segundo OMS

Tremor, instabilidade postural, rigidez e lentidão dos movimentos. Esses são os principais indícios de um problema que, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), atinge 1% da população acima dos 65 anos: a Doença de Parkinson. O tratamento, na maioria dos casos, envolve o uso de medicações, mas, eventualmente, a cirurgia pode ser uma alternativa interessante. O Hospital Mãe de Deus possui uma equipe especializada para a realização desse procedimento e atendimento da doença.

Uma patologia neurodegenerativa, o Parkinson causa a morte de células do sistema nervoso, provocando o aumento dos sintomas com a sua evolução.  O diagnóstico é clínico, feito por neurologistas treinados para identificarem os sinais e avaliar o histórico do paciente. Já o tratamento é feito com diferentes fármacos, que são escolhidos de acordo com os sintomas predominantes, a idade, comorbidades associadas e outros remédios utilizados.

Cirurgia busca trazer maior independência e conforto

 

Normalmente, é possível obter uma boa resposta apenas com o uso dos medicamentos. No entanto, nem sempre eles não são suficientes, fazendo com que a pessoa desenvolva limitações mais severas. Para esse público, existe cirurgia.

O procedimento instala um eletrodo dentro do cérebro, na área responsável por controlar os movimentos, afetada pela doença. Esse aparelho é ligado a um gerador, similar a um marcapasso, e consegue controlar os estímulos nervosos dessa região, inibindo a sua ação disfuncional. O local exato da instalação será definido pelo médico através de um estudo específico do caso.

“Primeiramente, precisamos selecionar bem os candidatos, já que nem todos podem ser operados. No entanto, para os que preenchem os critérios de indicação, a resposta é muito positiva, devolvendo a sua independência e melhorando a qualidade de vida”, explica o neurocirurgião do Corpo Clínico do Hospital Mãe de Deus, Dr. Eduardo Goellner.

Agendamento:

Telefone: (51) 3230.6000

Whatsapp: (51) 3230.6001

Atendimento:

Rua José de Alencar, 286 – Acesso 1 – Subsolo

Emergência

24 HORAS

Tempo médio para atendimento
*Tempo para atendimento médico após abertura do boletim.
TRAUMATOLOGIA
Tempo médio para atendimento
*Tempo para atendimento médico após abertura do boletim.
*Unidade Av. José de Alencar, 286.

PARA VOCÊ

CENTRAL DE ATENDIMENTO

TELEMEDICINA, AGENDAMENTOS, CONSULTAS E EXAMES​

Sala de imprensa

Fabíola Bach – Assessoria de Imprensa
Celular: (51) 99952-1462
fabiolaback29@gmail.com

TODAS AS NOTÍCIAS:

Compartilhe:

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Mais notícias

Emergência Cardioneurológica do Hospital Mãe de Deus completa um ano

Quando tempo é vida, contar com um fluxo de atendimento exclusivo, agilizando processos, pode fazer a diferença nos resultados alcançados. Com este objetivo o Hospital Mãe de Deus criou sua Emergência Cardioneurológica, em julho de 2021. Em seu primeiro ano, ela atendeu mais de seis mil pacientes, oferecendo uma estrutura completa para a assistência veloz das doenças cerebrovasculares, com equipe multidisciplinar capacitada, protocolos especializados e tecnologia de ponta.

Mãe de Deus realiza recanalização da veia porta com procedimento minimamente invasivo

A veia porta é responsável por levar entre 70% e 80% do sangue que chega ao fígado, trazendo os nutrientes que são absorvidos para metabolização no órgão. Por isso, qualquer interrupção no local traz grandes impactos para o organismo, podendo ser fatal. Em muitos casos, os tratamentos paliativos são os mais utilizados, por desconhecimento de uma técnica minimamente invasiva chamada recanalização da veia porta. O Hospital Mãe de Deus oferece esta alternativa capaz de solucionar este problema através do reestabelecimento do fluxo no local.