Apresentação

O Serviço de Oncologia do Hospital Mãe de Deus é referência no segmento. Com uma equipe altamente qualificada e foco na humanização e proximidade, o serviço se divide entre oncologia clínica e oncologia cirúrgica.

Diferenciais

A condução de cada caso é discutida de maneira adequada dentro de reuniões multidisciplinares. Nestas reuniões, o paciente recebe opinião para o melhor tratamento de acordo com o estágio da doença.

  • Protocolos Assistenciais
  • Reuniões clínicas realizadas semanalmente para discussão de casos
  • Equipe disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana
  • Primeira Emergência Oncológica do Brasil
  • Núcleo de Tratamento da Dor e Cuidados Integrais voltados a pacientes com câncer
  • Serviço de Genética Médica para estudo de casos
  • Em breve um novo hospital dedicado somente ao câncer

Equipe

Gestores Médicos

  • Dr. Stephen Doral Stefani
  • Dr. Alan Arrieira Azambuja
  • Dr. Jairo Lewgoy
  • Dr. Rafael Cremonese
  • Dra. Andréa Barleze da Costa

Equipe Médica

Oncologia Clínica

  • Dr. Alan Arrieira Azambuja
  • Dr. Jairo Lewgoy
  • Dr. Márcio Chmelnitsky Kruter
  • Dr. Stephen Doral Stefani
  • Dra. Ana Caroline Zimmer Gelatti
  • Dra. Christina Pimentel Oppermann
  • Dra. Fernanda Bronzon Damian
  • Dr. Juliano Ce Coelho
  • Dra. Sabrina Richter Bedin
  • Dra. Juliana Scheffer
  • Dr. Tomás Reinert
  • Dr. Vinicius Lorandi
  • Dra. Claudia Bordignon
  • Dra. Maritza Bleil de Souza
  • Dra. Rafaela Kirchner Piccoli
  • Dr. Vinicius Knackfuss Gonçalves

Hematologia

  • Dr. Dani Laks
  • Dr. Leo Sekine
  • Dr. Marcelo Eduardo Zanella Capra
  • Dra. Jalise Wolski de Oliveira Romanov
  • Dra. Laura Maria Fogliatto
  • Dra. Paula Tabbal da Costa
  • Dr. Luis Carlos Zanadrea Contin

 

Mastologia

  • Dr. Felipe Pereira Zerwes
  • Dra. Betina Vollbrecht
  • Dra. Andrea Pires Souto Damin
  • Dra. Sandra Lucia Coccaro de Souza
  • Dra. Bianca Ceratti Zardo
  • Dra. Barbara Canabarro Frantz
  • Dra. Marcelle Morais dos Santos
  • Dra. Alessandra Borba Anton de Souza

Anestesiologista

  • Dra. Viviane Alves Teixeira

Cirurgia Cabeça e Pescoço

  • Dr. Felipe Oliva Detânico

 

Cirurgia Oncológica

  • Dr. Carlos Alberto Cabeda Fischer
  • Dr. Márcio Fernando Boff
  • Dr. Roberto Geiss Koch
  • Dra. Enilde Eloena Guerra
  • Dr. Diego Sachett Mattanna
  • Dr. Marcelo Bentancor Lontra
  • Dr. Ronaldo Oliveira da Silva
  • Dr. Lucas Torelly Filippi

 

Cirurgia Plástica

  • Dr. Francisco Laitano Neto

 

Cirurgia Torácica

  • Dr. Frederico Krieger Martins
  • Dr. Marcelo Bastiani Pasa

 

Genética Médica

  • Dra. Cristina Brinckmann Oliveira Netto
  • Dra. Patrícia Ashton Prolla
  • Dra. Camila Matzenbacher Bittar

 

Radioterapia

  • Dr. Cláudio Sá Brito
  • Dra. Marcia Medaglia Grussner
  • Dra. Andrea Barleze da Costa

Tratamentos

  • Oncologia Clínica
  • Oncologia Cirúrgica
  • Hematologia
  • Mastologia
  • Radioterapia
  • Genética Médica
  • Tratamento da Dor

Perguntas Frequentes

Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de cem doenças causadas pelo crescimento desordenado de células anormais, que podem invadir ou destruir tecidos. O acúmulo de células cancerosas em um determinado local é chamado de lesão tumoral ou tumor. Existem diferentes tipos de câncer: carcinomas, sarcomas, leucemias, linfomas, melanoma. Os diferentes tumores podem ter comportamentos muito diversos. Os tumores mais frequentes são os de pele, mama e próstata.

O tumor primário é a origem do câncer. As células cancerosas podem escapar do tumor primário para a circulação sanguínea e se implantar em outros órgãos distantes. Estes implantes são as chamadas metástases. Por exemplo, um câncer primário de mama pode gerar metástases nos ossos, pulmões, fígado e cérebro.

Não. Tumor significa um aumento de volume de um órgão. Ele pode ser neoplásico quando isto representa uma proliferação das células deste órgão. As neoplasias podem ser benignas ou malignas. Por exemplo: um mioma uterino ou um lipoma são neoplasias benignas. Eles crescem lentamente, não invadem tecidos vizinhos e não causam metástases. Já as neoplasias malignas geralmente possuem crescimento mais rápido e desordenado, atingindo tecidos e órgãos de forma agressiva.

A radioterapia é um método capaz de destruir células tumorais, por meio de feixe de radiações ionizantes, como os raios-x. O objetivo é erradicar as células tumorais, com o mínimo de impacto possível às células normais circunvizinhas. Da mesma forma que a cirurgia, serve para tratar tumores localizados.

É um tratamento em que se utilizam medicamentos para combater o câncer. O objetivo é tratar tumores por via sistêmica, em geral quando já está mais disseminado. A quimioterapia pode ajudar também no controle local da doença, junto com a radioterapia ou a cirurgia. Os medicamentos podem ser aplicados de forma intravenosa, via oral, intramuscular, subcutânea, tópica (sobre a pele) e intratecal (pela espinha dorsal). Recentemente, novas terapias antineoplásicas, chamadas terapias biológicas (ou ainda, drogas-alvo), com ação mais específica para cada tipo de tumor, têm sido desenvolvidas. Elas representam uma grande esperança de progresso no tratamento do câncer.

Mãe de Deus

DEMAIS UNIDADES DE SAÚDE AESC